Tenho 22 anos e sou mãe de uma bebê de 1 ano. Sou mãe solteira e vivo na casa dos meus pais. Não aguento mais minha mãe interferindo na forma como crio minha filha. Como faço para ela entender que é vó e a mãe sou eu?

1 Resposta

Que difícil quando isso ocorre! Realmente, você tem uma situação um tanto complicada. Entendo sua situação de mãe solteira. Suponho que sua situação financeira não lhe permita ter um lar para você e sua filha, o que a obriga a viver com sua mãe.

Infelizmente, é inevitável que as avós deem seus palpites sobre como educar os filhos. Pense que são mães e educaram os seus próprios. Ela criou você. Então, ela considera ter as ferramentas adequadas para criar um adulto de bem.

Agora, é certo que os tempos são outros e as formas de educar mudaram. É preciso que você tenha clara a forma como deseja educar sua filha e compartilhe com sua mãe suas vontades. A mãe do beebê é você, logo é a sua principal figura de referência. Isso deve ficar claro para a criança, a fim de que se torne uma pessoa segura e capaz de reconhecer a quem acudir quando tem alguma necessidade.

Para isso, você deve tomar a rédia da criação. É certo que sua mãe (a avó da criança) possa cuidar do bebê enquanto você está trabalhando. No entanto, isso não a torna mãe do bebê. A criança deve entender a relevância de cada figura na sua vida. Se você chega ao ponto que estabelece um limite e a criança diz: "vou com minha vó" é porque aí há uma confusão quanto às responsabilidades de cada uma das figuras presentes em sua vida.

Então, entendo sua preocupação. O mais importante é poder conversar com sua mãe e deixar clara a relevância de cada uma na educação da criança, deixando estabelecido que você é a principal figura de referência e responsável por estabelecer os limites necessários para o bem-estar da criança.

Sua mãe a compreenderá. Não tenho dúvidas!

Respondido por Karina de Freitas há 3 meses
5 votos positivos
Perguntas relacionadas