Não suporto minha filha de 7 anos. Tudo o que faz me irrita. Só tenho paz quando não está. Sinto-me culpada. O que fazer?

1 Resposta

Sinto muito sua situação! Você é muito valente de compartilhar o que está lhe passando e pedir ajuda. Primeiramente, tenha em conta que seu estado de ânimo baixo pode influenciar em suas percepções. Sua própria afirmação, transmite muita ansiedade e angústia em relação ao tema. 

Então, é importante que você reveja a necessidade de mudança na forma de comunicar o que sente. Mudar essa atitude pode ser muito importante para melhorar a relação entre mãe e filha. No lugar de ver tudo com muita negatividade, culpando sua filha por ser desobediente, agressiva ou prepotente. 

Tenha em conta que, mais ou menos aos 7 anos, as crianças atravessam uma fase de mudança. Voltam as birras, provam os limites... Supomos que agora este problema pode estar acentuado. Nesse sentido, realmente, a menina pode não estar feliz. E se manifesta através da raiva que esconde uma tristeza. Pode ser que se sinta insegura e não desfrute co que há a seu redor. Acaba por chamar a atenção de maneira negativa, deixando aflorar o ciúmes, a inveja, a raiva, a tristeza.

É apenas uma criança. Ainda que já tenha um bom discernimento das coisas e entenda bem o que passa em seu entorno, pode ser que entre em dinâmicas tóxicas que não ajudam muito a manter um comportamento socialmente esperado. 

O melhor é que você busque ver as coisas positivas que ela faz durante o dia. Tente restabelecer a confiança e fortalecer o vínculo entre vocês duas. Isso fará com que se sinta mais segura. 

Uma das formas pode ser escrever juntas um caderno de alegrias. Cada noite, podem desenhar ou escrever algo bonito que tenha vivenciado.

Transforme algum cantinho da casa em um espaço para que possa relaxar e buscar a paz interior. Deixe livros que possa ler e brinquedos relaxantes.

Enfim, há uma série de coisas que você pode fazer para ajudar a criança a restabelecer o autocontrole e permitir-lhe ter atitudes e comportamentos mais esperados.

De toda forma, você não tem que se esgotar, pensando que tem o dever e a obrigação de resolver a situação. Pense que, muitas vezes, o problema pode estar em nós os adultos. Então, se a situação é muito estressante, busque uma ajuda profissional que possa guia-la nessa primeira etapa.

Respondido por Bruna Fernandes Ribeiro há 2 meses
5 votos positivos
Perguntas relacionadas